Lisboa
28 Nov, Sunday
9° C
TOP

Parada obrigatória em Portugal: Sintra

Confesso que quando fui para Portugal eu não tinha pesquisado uma vírgula sobre o país. E isso foi o que eu mais gostei: as coisas surpreendentes que conheci. A únicas cidades que eu sabia que deveria visitar eram Porto e Santarém (do livro Viagens na minha terra, de Almeida Garret – no final acabei nem visitando). No mais, sem planos.

 

Mas se tem uma coisa que salva intercambista perdido são os Erasmus das cidades em que os alunos vão estudar. De modo que conheci os Erasmus Lisboa, que logo no início fizeram uma viagem para Sintra por €20 (com entradas e transporte inclusos). Importante: ir com os Erasmus em baixa temporada é mais barato que ir por conta em  alta temporada. Aliás, não deixe para visitar tudo durante a alta temporada (é bem mais caro).

 

Como chegar a Sintra

Saindo de Lisboa, a cidade fica a menos de 40km e é possível ir de trem ou ônibus ou em excursões com os Erasmus. Chegando lá, você pode alugar uma bicicleta (se for muito atleta para subir os morros dos castelos) ou ir de transporte público (durante a alta temporada achei até o ônibus municipal caro, então, cuidado). Não aconselho fazer bate-volta, os pontos turísticos da cidade são maravilhosos e demandam tempo para devida apreciação.

 

O que visitar em Sintra

Castelo dos Mouros

É um castelo maravilhoso, da época da invasão árabe à Península Ibérica, portanto, muito diferente do Castelo de São Jorge, em Lisboa. O ponto de atenção aqui é o período de frio, em que tem muita neblina, atrapalhando a visão do castelo, que, claro, foi construído em ponto estratégico para defesa, ou seja, tem grande campo de visão, a fim de avistar o inimigo.

Palácio de Monserrate

Depois de visitar o diferentão Castelo dos Mouros, em minha opinião, o segundo ponto mais importante é o Palácio de Monserrat (geralmente as pessoas preferem o Palácio da Pena). A construção passou pelo poder de diferentes famílias, o que diversificou a arquitetura presente no local, apesar de prevalecerem os traços árabes. As duas horas da excursão dos Erasmus para visitar o Palácio e seus jardins não são suficientes.

Quinta da Regaleira

É uma das construções literalmente mais bizarras que conheci em Portugal. A propriedade era de um médico, que tem um escritório no terraço da casa, cheio de instrumentos de estudos, várias fechaduras são de Javali, o jardim tem passagens secretas, um lago e torres (inclusive uma subterrânea, o Poço Iniciático).

Palácio da Pena

Bem como o Palácio de Monserrate, esta construção mistura diferentes estilos arquitetônicos, mas o que mais chama atenção aqui são as cores: é o palácio mais colorido que visitei durante todo o intercâmbio. Não paguei para entrar, pois era alta temporada e mais de €10 para entrar, como não achei a parte exterior tão atrativa, preferi ficar apenas com a vista deslumbrante (é a construção mais alta de Sintra em relação ao nível do mar), perto dele o Castelo dos Mouros não é nada (em altitude).

Cabo da Roca

Um dos lugares mais incríveis que visitei em Portugal (eu amo faróis e lá tem um super famoso). É o ponto mais ocidental da Europa e provavelmente o ponto que mais venta em todo o país luso. O acesso é possível por meio de ônibus que vão para Cascais, mas que demoram um pouco para passar. Eu gostei tanto do Cabo da Roca que foi o único de todos os pontos de Sintra que visitei duas vezes, então deve valer a pena, né?

Cabo da Roca

Cabo da Roca – Sintra, 2015

 

 

 

 

Comments (2)

  • Diana

    Olá,
    Irei fazer intercâmbio pra Lisboa e queria saber mais sobre o Erasmus, se vale a pena etc..

Post a Comment