Lisboa
16 Oct, Saturday
18° C
TOP

Transporte em Lisboa: como fazer, carregar e usar o cartão Lisboa Viva

Saber como fazer o cartão Lisboa Viva (ou cartão do transporte público de Lisboa) deve ser um dos seus primeiros planos quando pisar na cidade. O Portal Viva, site responsável por cuidar da emissão dos cartões de transporte é confuso. Mesmo morando aqui, eu tive que reler várias vezes as informações, então tentei resumir e mastigar o que encontrei por lá pra vocês.

Tipos de bilhete de transporte público em Lisboa

 

Turistas: Viva Viagem

O cartão Viva Viagem é indicado para os turistas usarem o transporte público em Lisboa. Ele é feito nas máquinas das estações e é impresso em papel. Mas não jogue fora: ele contém um chip e pode ser recarregado com cargas temporais (diárias e semanais), para compra de passagem ou na tarifa Zapping depois do crédito acabar.

Custa 50 céntimos e pode ser usado até o fim da sua viagem.

 

Residentes: Lisboa Viva

Estudantes brasileiros podem e devem fazer o cartão Lisboa Viva para economizar nas viagens. O cartão é de plástico, contém um chip e a identificação do passageiro. Tem validade de 4 anos a partir da emissão.

 

Onde fazer o cartão Lisboa Viva

Quem tem o cartão de cidadão e o certificado digital pode fazer o pedido online – o que não é o caso de muitos por aqui. O pedido do cartão presencialmente é mais caro porque fica pronto em 24 horas, de acordo com o site do Viva, mas é a única maneira de os brasileiros (e demais estrangeiros) fazerem.

A tarifa normal custa € 12 e o pedido do cartão Lisboa Viva pode ser feito nos seguintes endereços e horários:

 

Metro

Estações Marquês de Pombal (Azul) e Cais do Sodré (Azul e Verde)
Funcionamento: dias úteis, das 7h45 às 19h45

 

Trem (Comboios CP)

Estação Ferroviária de Santa Apolónia
Funcionamento: dias úteis, das 5h30 às 21h45 e fins de semana, das 6h15 às 21h45

 

Trem (Fertagus)

Pedido em qualquer estação, retirada apenas na estação Pragal
Funcionamento: dias úteis, das 5h30 às 21h45, sábados das 8h às 15h e domingos das 12h às 20h

 

Barcos

Terminal Fluvial Cais do Sodré
Funcionamento: dias úteis, das 8h às 18h45

 

Carris

Rua Duque D’Ávila, 12
Rua 1º de Maio, 101
Funcionamento: dias úteis, das 9h às 17h.

 

Fonte: Portal Viva

 

Documentos necessários

Vou falar sobre os documentos para fazer o passe comum. Mesmo sendo estudante, só pude fazer esse (mais adiante eu falo sobre isso):

  • Passaporte (e cópia da folha de identificação e do visto, se houver) ou autorização de residência/cartão de residência
  • Foto 3×4
  • Formulário preenchido (a agente que te atender vai te dar o formulário).

 

Como escolher o título de transporte

Mapa da AML (Área Metropolitana de Lisboa) com os 18 municípios que a constituem.

O cartão, o plástico que você tem na mão não tem nenhum crédito ainda.

Agora você decide como vai carregá-lo de acordo com os transportes que usa com mais frequência. Isso é o que eles chamam de Títulos de Transporte.

Antes de as novas regras entrarem em vigor, existiam mais de 694 combinações de passes possíveis. A partir de abril deste ano, serão apenas 45.

 

A partir de 1 de abril de 2019, existem dois passes principais:

  • Navegante Municipal – tem custo de 30 euros e serve para circular em todos os operadores de transporte, mas apenas dentro de um mesmo município do mapa acima. Por exemplo, quem mora em Lisboa e quiser ir até Cascais passear no verão vai ter que comprar um bilhete avulso se escolher essa tarifa – e vice-versa.
  • Navegante Metropolitano – custa o máximo de 40 euros e serve para circular usando todos os operadores de transporte (barco, metro, trem e ônibus) entre todos os municípios da área metropolitana de Lisboa: Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira (como no mapa acima).

 

A lista completa de passes disponíveis pode ser encontrada aqui – note que a maioria dos passes que vai ver na tabela se referem a passes de operadores específicos em outros municípios diferentes de Lisboa. Quem mora e estuda em Lisboa vai precisar de um dos títulos que mostrei acima.

Se você está fazendo intercâmbio e gosta de passear bastante – especialmente no verão – carregue o seu passe com o navegante metropolitano, assim você acessa todos os municípios e não precisa comprar passagens avulsas.

 

Lisboa Viva para famílias

Com o intuito de estimular o uso do transporte público, as novas regras também aprovaram um valor máximo a ser cobrado pelos títulos de transporte em agregados familiares. A partir de 1 e abril de 2019, as famílias não pagam mais do que 80 euros por títulos de transporte Navegante Metropolitano e não mais do que 60 euros pelo título Navegante Municipal.

Ainda não está esclarecido o funcionamento desse benefício. Assim que tiver novidades eu atualizo este post.

 

Quanto tempo dura o passe mensal

Até abril de 2019, os passes mensais tinham a regra dos 30 dias corridos: se você carregasse dia 15 de março, por exemplo, teria que carregar de novo dia 14 de abril. A partir de 1 de abril de 2019, os passes começam a contar a partir do primeiro dia de cada mês e têm validade até o último dia.

Por isso, se você chegar em Portugal e fizer seu Lisboa Viva no dia 25 de determinado mês, por exemplo, faça as contas e veja se vale a pena pagar a tarifa cheia, porque no dia 1 você já vai ter que carregar de novo. Nesses casos, pode ser mais vantajoso carregar com bilhetes Zapping e carregar o bilhete com o título de transporte só no dia primeiro.

 

Estudante tem desconto?

Tem 25% de desconto até os 23 anos, desde que não seja intercambista – tem que fazer a faculdade inteira aqui. Se você se encaixa nessas condições e tem algum benefício social concedido pela sua faculdade, o desconto é de 60% sobre a sua tarifa de transportes.

Crianças até o fim do mês em que completam 13 anos não pagam transporte, mas têm que ter o cartão Lisboa Viva. Alguns operadores de transporte específicos podem ter desconto para estudantes universitários, mas o site Lisboa Viva não diz quais são, como solicitar nem se estudantes intercambistas brasileiros se encaixam nas regras.

 

Onde recarregar o cartão Lisboa Viva

Em qualquer Multibanco (exceto a primeira recarga), nas máquinas ou no atendimento em guichês nas estações (se houver). A recarga pela internet só serve para quem tem o leitor de cartão e o cartão cidadão.

Forma de pagamento

Você pode pagar pela recarga do seu cartão Lisboa Viva nas máquinas das estações usando dinheiro (inclusive moedas) ou cartão de débito e pode tentar usar o seu cartão de crédito/débito do Brasil (eu não me lembro se dá).

 

Como usar o cartão Lisboa Viva ou o Viva Viagem

Existem algumas pegadinhas no percurso.

As maquininhas ficam logo ao lado do motorista, na entrada dos ônibus e no metrô elas ficam na catraca – não tem como errar. Só que no trem, essas benditas parecem postes baixinhos que ficam perto das escadas que levam às linhas. Valide o cartão aí, porque quando chegar lá em cima e entrar no trem, não tem mais como validar.

Se o fiscal eventualmente te pegar e você não tiver pago a tarifa (ou não tiver um cartão que contemple o trecho que vai usar), vai precisar ter uma boa explicação para não pagar uma multa (coima) de 100x o valor da passagem. Já vi o fiscal pegar uma brasileira desavisada, mas ele só explicou para ela como validar o bilhete e a deixou seguir viagem. De todo modo, o crime não compensa.

Outra dica importante: às vezes as catracas do metrô travam e ficam abertas. Isso não significa que você pode passar direto sem pagar a passagem.

 

Espero ter ajudado a saber como fazer o cartão Lisboa Viva! Se tiver dúvidas ou se o seu percurso for muito específico, é só comentar abaixo com a dúvida que tento ajudar. Espero que dê tudo certo!

A Gabi fez intercâmbio em Lisboa em 2015 e desde que voltou para o Brasil no ano seguinte, já começou a planejar a volta para Lisboa depois de se formar. Está de volta à capital portuguesa desde 2019. Desde que tudo deu errado com o seu visto, em 2015, resolveu ser mais criteriosa com a papelada e criou o blog para evitar que outros estudantes cometam os mesmos erros.

Post a Comment